"Enquanto não conseguirmos suprimir qualquer uma das causas do desespero humano, não teremos o direito de tentar a supressão dos meios pelos quais o homem tenta se livrar do desespero."
Antonin Artaud

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

beatles careta



quando o olho busca mais uma nota musical
uma nota que demonstre aqueles tons agudos de intensidade viva
ele acha um careta

ah, se fosse um careta daqueles que se põe fogo na ponta e se traga
que se tira fumaça e nicotina
seria ótimo..

mas é apenas um cara e uma garota careta
daqueles que passam a vida e não descobrem sequer que estão vivos
ou que podem estar se quiserem

caretas..
caretas...
que pena tenho desses caretas

há quem queira mudar o futuro do mundo
ou a vida dos alheios.. nao nao

agora, enquanto penso sobre ter pena,
me toco que na verdade o que sinto é indiferença

indiferença é um sentimento tão forte, não é?
parece que se olha de cima pra baixo..

mas não... só olho um ser dotado de energias e calor pra se descobrir
e descobrir o mundo, as cores, o vento, o tudo que paira por ai
e ele apenas desperdiça..

mas também porquê não desperdiçar né?
quem disse que temos que aproveitar tudo tudo?
hã?

acho que o segredo é descobrir nossos semelhantes e nos unirmos à eles
juntar as forças dos que adoram descobrir
dos que adoram viver e aprender

aprender seja o que for,
aprender a desaprender. a ser careta. a nascer outra vez
e outra vez..

eu já nasci tantas outras vezes que nem sei mais
nem sei mais que diferença faz
nascer e morrer outra vez

[texto sem métrica. nem sentido]
não fui eu que escrevi.




marcus

3 comentários:

rodrigo disse...

Pensei em falar de algo sobre o texto. Mas eu não falo é nada! Primeiro que isso aqui é escrita e não falácia, segundo por uma coerência de agora; Às vezes eu posso me ver de fora quando eu fecho os olhos e relaxo em uma cama (como é mais freqüente) pra espantar as palavras de mim e o diálogo interior, como diria Dom Juan. Ai eu subo pouco mais que 7 ou dez metros e fico me vendo lá de cima, totalmente inerte, como que disfarçado de conceituações, numa luta contra conceituar.(Tudo o que eu posso tentar expressar sobre isto está no clip de björk Unravel. Que belo clip, que bela música.) Em algum momento me coube esta representação daquela apresentação, tudo isso é pra exprimir que esse ato é o ápice da “autexorcização”, como proponho lapidar, e de que sobre o momento é o que rege um estar sobre o ser e o que importa, como se no momento dentro da, Bolha do momento, o que ta fora ta fora, o que cabe dentro está dentro, dentro e fora, fora e dentro, uma coisa só, enfim, já começo com conjectura. Ademais o texto sem suposta autoria assim me fez sentir, assim me fez sentar, olhar, sem ver. E eu valorizo isso, ventos que me tirem de mim me inserindo em outro viés sobre o qu... (end!!!)

Gilson disse...

Estar sozinho tem me ensinado amor as pessoas, inclusive as caretas. De forma que nao poderia sentir mais pena delas do que sento de mim mesmo ou de todos nos. Eu ando muito paradoxal ultimamente, mas nao o tipo de paradoxo que contraria a logica (a começar por este paradoxo), fora do mundo e bem dentro dele, amando as pessoas e evitando-as. Mas alguma coisa ta acontecendo ou pra acontecer, e quando eu descobrir o que eh, o que que hoje faço ganhara novo sentido. (doce loucura, o que faria sem ti?)

marcus disse...

eu amo tanto às pessoas quanto à mim mesmo. não saberia definir diferente.
não há nada melhor que receber um abraço com naturalidade plena de um amigo. o toque dos corpos, o calor que é sentido, diz muito mais que quaisquer palavras possam querer dizer, dizem muito mais que um medíocre aperto de mãos. se eu avisto um ser querido e vou de encontro à ele, porquê não abraçá-lo-ia? não que eu não me sinta bem quando estou só, me sinto ótimo, e mesmo só não me sinto sozinho. mas eu aprendi (aprendi sobre mim mesmo) que sou melhor quando estou em meio às pessoas queridas; há um certo completar de um pro outro, quando falta um pouco de disposição ou bom-humor em um, isso pode ser passado por outros como boa companhia....
ah, é muito bom ter as pessoas ao meu lado..
é muito bom ter vocês pra ver, abraçar e dialogar sobre os sobres da vida..
é muito bom sentir saudades dos entes queridos.. das situações queridas..
no meio de tudo tudo, fico com o que é bom pra pensar. e sentir.