"Enquanto não conseguirmos suprimir qualquer uma das causas do desespero humano, não teremos o direito de tentar a supressão dos meios pelos quais o homem tenta se livrar do desespero."
Antonin Artaud

segunda-feira, 2 de julho de 2007

Um peixe doce e bola.


(Se fossemos criar uma sede para os peixes-bolas(doces), em minha opinião, ela seria construída "ai", na Serra do Maroto. Exatamente naquele pico onde nós bem conhecemos e onde vivemos alguns vários momentos bem "vivos", não obstante um pouco anestesiados.)

"...
Um dia, um peixe-bola.
Outro, um peixe-doce.
Peixe-doce-bola
ou peixe-bola-doce?
Peixe-doce-bola.risado,
risada!
Peixe-bola.dor,
bolado.
Tá bolado?
Bora.
Tá doce?
Então bora, bola.risado!
Risada.
Bora agora?
Bora, bola.
Oui, maintenant monsieur."


- Marcus T.oiez -

4 comentários:

peixe_doce disse...

sempre gostei do nome, da ideia (na época), do peixebola. E que bom que a gente faz dela útil aprimorando a partir de nosso crescimento algo pra poder compartilhar nossas questões de maneira atraente para o hoje. Gravatá simboliza um momento na minha adolescência e juventude e um apego muito além de sua beleza natural que por vez nos atraiu o maroto em grandes momentos. Grandes situações... há muito para se refletir sobre o quão doce é estar por ali.

spºck

* postei duas vezes a mesma coisa. deleta lá, mt.

peixe_doce disse...

Mago, apaguei a informação duplicada.
Assina teus escritos mago.
E depois me fala o nome desse "freak", por mais que nomes não importem lá essas coisas.
Abraço junkie,

Marcus T.oiez

Victor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Victor disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.