"Enquanto não conseguirmos suprimir qualquer uma das causas do desespero humano, não teremos o direito de tentar a supressão dos meios pelos quais o homem tenta se livrar do desespero."
Antonin Artaud

segunda-feira, 22 de outubro de 2007

Orgia musical


Coming Back To Life
Pink Floyd

Composição: David Gilmour

Where were you when I was burned and broken
While the days slipped by from my window watching
Where were you when I was hurt and I was helpless
Because the things you say and the things you do surround me
While you were hanging yourself on someone else's words
Dying to believe in what you heard
I was staring straight into the shining sun

Lost in thought and lost in time
While the seeds of life and the seeds of change were planted
Outside the rain fell dark and slow
While I pondered on this dangerous but irresistible pastime
I took a heavenly ride through our silence
I knew the moment had arrived
For killing the past and coming back to life

I took a heavenly ride through our silence
I knew the waiting had begun
And headed straight...into the shining sun

- Essa composição é sem dúvida, para mim, um estágio de êxtase. David Gilmour compõe ápices de emoções musicais porque ele é uma melodia extrema, no pop, no som, na voz. Para mim ele é uma melodia. No mundo sonoro será eterna. Eu escutando essa música fazendo jus a seus sentidos, em mim cada rasgada melódica nos solos, ou tom de voz agudo, tudo, ruboriza, arrepia, porque é muita coisa! É muita emoção num curto espaço de tempo, numa música. Lindo, odes musicais ultimamente como nunca; in Rainbows, the piper at the gates of dawn, "coming back to life"... energias

2 comentários:

marcus T. disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
marcus T. disse...

Se alguma hora eu consigo sair do corpo, se alguma hora consigo sair da mente e me tornar algo mais difuso, algo mais alto, alguma Vontade (com V maiúsculo) me torna, talvez, uma nota musical. Alguma nota sem nome. (Quiçá me fosse possível, mas o que não é?) Se eu pudesse escolher, seria aquela que o violão atingiu na praia, por conta do vento, e que fez uma massagem no meu inconsciente, e que consegui capturar com a câmera filmadora. Quando escutei (e assisti) em casa entrei no som, voltei no tempo, sai pelos ouvidos, entrei nos ouvidos. Me tornei aquele som, nem que tenha sido por um ponto no tempo ou por um lapso de memória.

"unnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnn" "innnnnnnnnnnnnn"